Estudos

 
 

O QUE É TENTAÇÃO?

 

Assunto: Tentação é tudo aquilo que pode fazer mal, prejudicar a pessoa ou o seu caráter.

Foi isso que Lúcifer praticou para roubar o bem maior da Criação de Deus, os seres humanos, com sua imagem e semelhança, alma, e espírito, com sabedoria e inteligência.

Os anjos foram feitos servos, não tendo corpo físico, carne e sangue são espíritos e não poderiam multiplicar e nem encher a Terra.

Marcos. 12:25 – Porquanto, quando ressuscitarem dentre os mortos, nem casarão, nem se darão em casamento, mas serão como os anjos que estão nos céus.

Portanto, Satanás não pode reinar sem os seres humanos na Terra. Os  anjos caídos pela rebelião de Lúcifer (demônios) precisam de corpos físicos, de carne e sangue, para praticar o reino da maldade. O homem e a mulher são seus emissários nesta Terra.

Tiago. 1:12 – Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem.

Como dissemos em outros estudos que, ser tentado não é pecado, mas a prática, o ato, o pensamento dá asas ao pecado, enche o coração de desejos pecaminosos.

Não é porque a Palavra diz que é bem -aventurado passar por várias tentações para depois de ser aprovado, ganhar a Coroa de Glória. Devemos enfrentar a tentação? Não!!!  Mil vezes não!!!

A Palavra de Deus nos adverte: para fugir da tentação, para não pecar.

Fugi das tentações também não é um ato de covardia, mas de prudência e sabedoria, sempre vigiando para não se envolver com a tentação.

No caso de resistir a tentação, deve-se conservar um espírito fortalecido com orações a Deus, agradecimentos e súplicas ao Senhor Jesus Cristo, para que se fortaleça na Graça e no Espírito. Não somente ouvintes da Palavra, que nos alerta, mas sejamos perseverantes e confiantes na Palavra de Deus.

Pois aqueles que duvidam da Palavra, tentam a Deus. Por causa da incredulidade do homem, muitos morreram no deserto.

Apocalipse. 3:10 – Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.

A fé é a confiança que depositamos na Palavra de Deus. Confiando dignamente, ser leal, honrado e seguro. Isto é qualidade da fidelidade permanente sem mudança na mente. Mesmo enfrentando perseguições e provações temos que sermos fieis ao Senhor.

Perseverante: Paciente, aqueles que sofrem dores físicas e morais, enfermidades na carne, e ofensas à nossa dignidade, e lealdade.

Jó. 1:8 – E disse o SENHOR a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal.

Por tudo que Jô sofreu na carne não sabia que estava na mão de Satanás, não pecou, teve paciência com seus amigos que eram usados pelo inimigo, que lhes ofendia moralmente, e mais pela sua lealdade para com Deus perdoando as ofensas de seus amigos.

2Pedro. 2:7,8- E livrou o justo Ló,(Sobrinho de Abraão) enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis (de Sodoma e Gomorra). Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, vendo e ouvindo sobre as suas obras injustas.

Não blasfemar, nem ofender a santidade, a dignidade, a honra e o poder do seu Criador. Passando pela prova e mostrando-se autêntico e fidedígno em sua fé em Deus.

O que é Provação?

Prova: um teste da nossa intenção ou sentimento para com Deus, um ato de provar nossa fidelidade.

O crente fiel deve enfrentar estas provas com alegria na alma.

Tiago. 1:2 – Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações;

Para que servem estas provações?

Romanos. 5:3,4,5 – E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Reconhecer a nossa firme dedicação em nossos relacionamentos perfeitos e corretos para com Ele. Para crescermos espiritualmente na fé, amadurecermos na esperança, para nos capacitarmos a olhar além dos nossos problemas presentes, tudo aquilo que o Senhor Jesus, pela sua graça, nos tem guardado para nos presentearmos através do Espírito Santo.

Deus abençoe a todos.

 
 

A IMPORTÂNCIA DO PERDÃO.

Mateus. 6:12- E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores…Como o perdão é importante na vida do ser humano. O perdão é um dos maiores mandamentos da Palavra de Deus, e anda de mãos dadas com o amor verdadeiro. Por mais dura que seja a maldade e a ingratidão do ser humano, devemos sempre perdoar uns aos outros.

Mateus. 6: 14,15- Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.

É o que Deus requer de seus filhos, que vivam em perfeita união.
Comparamos o perdão desta parábola:

Mateus. 18: 32,33,34,35- Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?
E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas.

Jesus Cristo nos perdoou quando nos convertemos a Ele, e devemos assim fazer para com todos igualmente.

Por isso vos rogo que confirmeis para com Ele o vosso amor. ( Porque quem ama perdoa). Palavra de Paulo: (2 Coríntios.2:8,9)

O Senhor Jesus, se entregou em nosso lugar na cruz para que o nossos pecados fossem perdoados e purificados e pudéssemos estar limpos na presença do Pai. “Pai perdoa porque não sabem o que fazem”.
Agora que estamos limpos no sangue de Cristo, temos que aprender a perdoar, enquanto estamos presente aqui nesta vida terrena, terrível, ingrata, cheia de maldade, mas lembrando que nós não somos deste mundo. Que tudo isto vai passar e que breve estaremos juntos com o Pai.

Efésios. 4:32- Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.

Deus abençoe a todos.

 
 

AFINAL, QUEM É JESUS?

Afinal, Quem é Jesus Cristo??

A Segunda pessoa da Trindade, o Filho Eterno encarnou-se e viveu na terra como Jesus Cristo o Deus-homem. Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até à morte, e morte de cruz! Filipenses. 2.5 a 8.

Cinco palavras referentes a Cristo resumem toda a Bíblia:


PREPARAÇÃO: 
O Antigo Testamento – é uma preparação para o advento de Cristo

MANIFESTAÇÃO:
 Os Evangelhos – Tratam de sua manifestação ao mundo.

PROPAGAÇÃO: 
O Livro de Atos – trata de sua propagação (seu nome e seus ensinos).

EXPLANAÇÃO:
 As Epístolas – Explanam sua doutrina

CONSUMAÇÃO:
 O Apocalipse – Trata da consumação de todas a coisas referentes a ELE.

Cristo ressurgiu dos mortos e ainda vive. Não é apenas uma personalidade histórica, porém, uma Pessoa viva.

Ele é o fato mais importante da história e a força mais vital no mundo de hoje.

A Bíblia sem Jesus seria a matemática sem os números, a física sem a matéria ou a biologia sem a vida.

O Nome de Cristo permanece sozinho. Deus lhe deu um nome que está acima de todo nome.

Nenhum credo pode contê-lo, nenhum catecismo pode explicá-lo, carne de nossa carne, o próprio Deus do nosso próprio Deus. A Ele, pois, seja a glória., o domínio e o poder para todo sempre. “Porque nele habita corporalmente toda plenitude da divindade”: Colossenses 2.9.

Atributos de Jesus que só pertencem a Deus
Vemos que Jesus é Onipotente, Onipresente e Eterno em Mateus 28.18 e 20: “E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra... e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”;

João 16.30 revela sua Onisciência: “Agora, sabemos que sabes tudo e não precisas de que alguém te interrogue...”

A Imutabilidade 
de Jesus é comprovada em Hebreus 13.8 que diz: “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje, e eternamente” .

Comprovamos também que todos os atributos do Pai estão em Cristoem Colossenses 2.9 “Porque nele habita corporalmente toda plenitude da divindade”

OS NOMES E TÍTULOS DE CRISTO

Os nomes e títulos dados a Jesus Cristo na Bíblia revelam muita coisa relacionada com sua natureza e trabalho.

1- JESUS –
 Foi o nome terreno conferido a ele por José desde o seu nascimento, em obediência a ordem de Deus dada por meio do Anjo Gabriel. Esta palavra significa “Salvador”. “E ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo dos seus pecados”: Mateus 1.21.

2- CRISTO – 
(provavelmente do grego), o mesmo que Messias (palavra hebraica). É um título que literalmente significa: “O Ungido de Deus”. “E Simão Pedro, respondendo, disse-lhe: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.”: Mateus 16.16.

3- O SENHOR 
– No Novo Testamento, corresponde a palavra “Jeová” do Antigo Testamento. Um dos nomes de Deus, consequentemente, quando aplicado a Jesus, é uma prova de sua divindade:“E toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai”: Filipenses 2.11.

4 - O VERBO 
– (Ou palavra de Deus) “E o verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e verdade”: João 1.14.

5- O FILHO DE DAVI 
– Nome pelo qual foi chamado mais de uma vez, é seu nome judaico característico, mostrando a sua descendência do Rei.“E, partindo Jesus dali, seguiram-no dois cegos, clamando e dizendo: Tem compaixão de nós Filho de Davi”: Mateus 9.27.

6- O FILHO DO HOMEM 
– É o nome que a maior parte das vezes Jesus empregou falando de si mesmo. “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”: Lucas 19.10

7- O FILHO DE DEUS – É um título empregado freqüentemente por Jesus Cristo, a ele é aplicado geralmente com profunda reverência, por outros, bem como usado por ele próprio. Em João 9.34,35: “Eu mesmo vi e já vos dei testemunho de que este é o Filho de Deus. No dia seguinte João estava outra vez ali, com dois dos seus discípulos”.

A Bíblia esclarece que Jesus Cristo era o Filho de Deus antes de seu nascimento humano:

João 16.28: “Sai do Pai e vim ao mundo; outra vez deixo o mundo e vou para o Pai”.

I João 4.9: “...Deus enviou seu Filho Unigênito ao mundo, para que por ele vivamos”.

Romanos 8.3: “Deus enviando seu próprio Filho em ...”

João 3.16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que enviou seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

 
 

QUE HOMEM É ESTE?

QUE HOMEM É ESSE?

Durante séculos pessoas de todos os estratos sociais, dos mais variados campos da ciência, da cultura, da política, eruditos, leigos e iletrados fazem a seguinte pergunta: Mas que Homem é Esse?

É uma pergunta que na maior parte dos casos fica sem resposta, ou porque não aparece ninguém para a responder, ou porque não sabem responder, ou por vergonha ou ainda por despeito.

O certo é que Esse Homem revolucionou o mundo e, diariamente se fala d´Ele sobre vários aspectos, os quais têm influência nas nossas vidas. Mas existe algo que nos faz pensar: porque será que a maioria das pessoas fala desse Homem a medo, às escondidas, ou simplesmente O hostiliza? Falando a favor ou contra, é correcto dizer que Esse Homem mexe com a consciência das pessoas. Graças a Deus que os crentes O louvam e O adoram.

Temos lido relatos acerca de grandes e poderosos reis, imperadores, descobridores, cientistas, de pessoas proeminentes mas, acabada a leitura desses relatos é como o espelho. Enquanto estamos à frente do espelho, lá está a nossa imagem, saindo dele, a imagem se desvanece. Mas Desse Homem de quem tanto se fala e se quer saber quem é, subsiste uma imagem ainda que irreal, o medo de O enfrentar, de conversar com Ele e o terror de sermos pecadores. Mas afinal que Homem é esse?

É intrigante ouvir falar de alguém que está no centro de tudo, que protagonizou curas de doenças, que matou a fome a milhares de pessoas, que expulsou demónios, deu vista a cegos, ensinou iletrados e eruditos, derramou amor por onde passava, morreu pregado numa cruz derramando o Seu sangue para remir os nossos pecados, ressuscitou dos mortos e está junto de Deus intercedendo por nós. Daí o questionamento: Mas que Homem é esse? Esse Homem é Jesus Cristo.

Mas, que fez Jesus de tão importante a ponto de abalar a consciência das pessoas e, cuja imagem real não conhecendo, vemos e sentimos? Nenhum ser humano teria capacidade pelos seus feitos, pela sua obra, pelo seu título ou pela sua ciência, de agitar as pessoas através de séculos e de ser o motivo principal da longanimidade de Deus para com a humanidade. Jesus Cristo preencheu todos os requisitos exigidos por Deus para salvar todo aquele que a Ele se chega com arrependimento. Deus recebe-o como filho através da aceitação e reconhecimento da obra vicária de Jesus Cristo. Ao homem é exigido que se arrependa dos seus pecados, se volte para Deus confessando esses pecados e peça perdão. Deus concede a reconciliação e a salvação através da aceitação de Jesus Cristo como Senhor e Salvador.

Vejamos alguns relatos bíblicos que nos elucidam sobre a resposta que pretendemos saber:

Mateus 8:27- (Discípulos) E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?

Marcos 4:41 - (Discípulos) Encheram-se de grande temor, e diziam uns aos outros: Quem, porventura, é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?

Lucas 8:25 - (Jesus Cristo) Então lhes perguntou: Onde está a vossa fé? Eles, atemorizados, admiraram-se, dizendo uns aos outros: Quem, pois, é este, que até aos ventos e à água manda, e lhe obedecem?

Os próprios discípulos e seguidores de Jesus estavam apavorados, atemorizados porque ainda não compreendiam o poder de Deus em Jesus Cristo.

Muitas pessoas, entre os quais reis e presidentes desejavam saber de onde viria Jesus. Mateus 2-4 (Rei Herodes) e, reunindo todos os principais sacerdotes e os escribas do povo, perguntava-lhes onde havia de nascer o Cristo.

13 (Magos do Oriente)... um anjo do Senhor apareceu a José em sonho, dizendo: Levanta-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egipto, e ali fica até que eu te fale; porque Herodes há-de procurar o menino para o matar.

O pavor atormentava a consciência de Herodes que procurava matar Jesus à nascença. Este é muitas vezes o pensamento de pessoas que não crêem em Jesus. Desejam arrancá-lo de suas consciências, preferindo ficar longe de Jesus.

Agradecemos a Deus pela dádiva de Jesus Cristo que veio a este mundo, nasceu, cresceu e já na idade adulta começava a dar testemunho da vontade de Deus, pelo que João Baptista em Mateus 3-11 diz: Eu na verdade, vos baptizo em água, na base do arrependimento; mas aquele que vem após mim (Jesus Cristo) é mais poderoso do que eu, que nem sou digno de levar-lhe as alparcas; ele vos baptizará no Espírito Santo, e com fogo.

Em Mateus 16-17, Baptizado que foi Jesus, saiu logo da água; e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito Santo de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre Ele, e eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. Marcos 9:7 relata: Nisto veio uma nuvem que os cobriu, e dela saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado; a Ele ouvi.

Temos aqui uma resposta de Deus à nossa pergunta: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo, a Ele ouvi.

Noutra ocasião quando Jesus se transfigurou aos discípulos lemos em Mateus 17:5-6: Estando Pedro ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu; e dela saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi. Os discípulos, ouvindo isso, caíram com o rosto em terra, e ficaram grandemente atemorizados.

Temos aqui, para além da resposta que desejamos, um mandamento: A Ele ouvi. Devemos, por isso, ouvir a Jesus Cristo.

E logo toda a multidão, vendo a Jesus, ficou grandemente surpreendida; e correndo todos para ele, o saudavam. Marcos 9:15.

Ainda assim havia algum desconhecimento, misturado com a curiosidade de saber quer seria tão eminente personalidade e, um dia (Jesus Cristo) ao entrar em Jerusalém, agitou-se a cidade toda e perguntava: Quem é este? E as multidões respondiam: Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galileia. Mateus 21:10-11.

Aqui já as multidões O reconheciam como Jesus o Nazareno, mas apesar de tantas provas infalíveis da sua identidade, permanecia a dúvida e a curiosidade. Lemos em Marcos 2:12 que o paralítico se levantou e, tomando logo o leito, saiu à vista de todos; de modo que todos pasmavam e glorificavam a Deus, dizendo: Nunca vimos coisa semelhante.

Muitas pessoas ouviam falar de Jesus, mas não o conheciam pessoalmente e, Marcos 5-27 relata que uma mulher muito doente tendo ouvido falar a respeito de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou-lhe o manto e ficou curada. É com atitudes semelhantes a esta que nos devemos dirigir a Jesus. Decerto, você já ouvir falar de Jesus. Estenda a sua mão, e com fé vá a Jesus. Jesus deseja curá-lo física e espiritualmente. Aproveite a ocasião e se não o fez ainda, entregue-se a Jesus e confie n´Ele.

A Sua fama, porém, se divulgava cada vez mais, e grandes multidões se ajuntavam para ouvi-lo e serem curadas das suas enfermidades. Lucas 5:15.

Jesus reunindo os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demónios, e para curarem doenças. E enviou-os a pregar o reino de Deus, e fazer curas. Herodes, porém, disse: A João eu mandei degolar; quem é, pois, este a respeito de quem ouço tais coisas? E procurava vê-lo. Lucas 9:1-2,9.

Jesus não frequentou Escolas e Universidades mas a Sua sabedoria sobrepujava a de qualquer outra pessoa. Em Marcos 6:2 lemos: Ora, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ao ouvi-lo, se maravilhavam, dizendo: Donde lhe vêm estas coisas? e que sabedoria é esta que lhe é dada? E como se fazem tais milagres por Suas mãos?

E se maravilhavam sobremaneira, dizendo: Tudo tem feito bem; faz até os surdos ouvir e os mudos falar. Marcos 7:37.

E veio espanto sobre todos, e falavam entre si, perguntando uns aos outros: Que palavra é esta, pois com autoridade e poder ordena aos espíritos imundos, e eles saem? Lucas 4:36.

Jesus a dada altura e por saber o que diziam d´Ele, questiona os seus discípulos:

E saiu Jesus com os seus discípulos para as aldeias de Cesareia de Filipe, e no caminho interrogou os discípulos, dizendo: Quem dizem os homens que eu sou? Responderam-lhe eles: Uns dizem: João, o Batista; outros: Elias; e ainda outros: Algum dos profetas. Então lhes perguntou: Mas vós, quem dizeis que eu sou? Respondendo, Pedro lhe disse: Tu és o Cristo. Marcos 8:27-29.

Testemunho de Pedro a Judeus e gentios:

A palavra que Ele (Deus) enviou aos filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo (este é o Senhor de todos); esta palavra, vós bem sabeis, foi proclamada por toda a Judeia, começando pela Galileia, depois do baptismo que João pregou, concernente a Jesus de Nazaré, como Deus o ungiu com o Espírito Santo e com poder; o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque Deus era com ele. Nós somos testemunhas de tudo quanto fez, tanto na terra dos judeus como em Jerusalém; ao qual mataram, pendurando-o num madeiro. A este ressuscitou Deus ao terceiro dia e lhe concedeu que se manifestasse, não a todo o povo, mas às testemunhas predeterminadas por Deus, a nós, que comemos e bebemos juntamente com ele depois que ressurgiu dentre os mortos. Este nos mandou pregar ao povo, e testificar que ele é o que por Deus foi constituído juiz dos vivos e dos mortos. A Ele todos os profetas dão testemunho de que todo o que nele crê receberá a remissão dos pecados pelo seu nome. Actos 10-36-43

O apóstolo Paulo foi designado por Deus para ser o apóstolo dos gentios (designação dada a quem não fosse judeu). É o nosso apóstolo, dos portugueses, brasileiros, espanhóis, americanos, chineses, indianos, ou seja dos povos de todas outras nações. Devemos, portanto ouvir de Paulo a mensagem do Senhor. Mas Paulo não conhecia a Jesus e por esse motivo perseguia os crentes e a igreja, até que Deus se manifestou a ele para ser nosso apóstolo:

Saulo, porém, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote, e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, caso encontrasse alguns do Caminho (seguidores de Jesus Cristo), quer homens quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém. Mas, seguindo ele viagem e aproximando-se de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu e, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? Respondeu o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Actos 9 1-5.

Paulo converteu-se a Jesus Cristo, entregou-se de corpo, alma e espírito e serviu de testemunha diante de reis, presidentes e para todos os povos.

Enquanto Paulo esperava os seus companheiros de ministério em Atenas, revoltava-se nele o seu espírito, vendo a cidade cheia de ídolos. Argumentava, portanto, na sinagoga com os judeus e os gregos devotos, e na praça todos os dias com os que se encontravam ali. Alguns filósofos epicureus e estóicos disputavam com ele. Uns diziam: Que quer dizer este paroleiro? E outros: Parece ser pregador de deuses estranhos; pois anunciava a boa nova de Jesus e a ressurreição. E, tomando-o, o levaram ao Areópago, dizendo: Poderemos nós saber que nova doutrina é essa de que falas? Pois tu nos trazes aos ouvidos coisas estranhas; portanto queremos saber o que vem a ser isto. Actos 17: 16-20.

Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam, porquanto determinou um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do varão que para isso ordenou; e disso tem dado certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos. Actos 17:30-31.

Ainda hoje muitas pessoas ao ouvirem falar de Jesus e da sua doutrina repetem as mesmas palavras dos eruditos da era de Paulo: Poderemos nós saber que nova doutrina é essa de que falam, pois nos trazem aos ouvidos coisas estranhas; portanto queremos saber o que vem a ser isto?

No livro dos Actos dos Apóstolos e nas suas epístolas, Paulo entrega-nos a mensagem e a doutrina que recebeu de Jesus Cristo, a nós, crentes e a todos quantos Deus chamar. Não queira ficar de fora e receba a mensagem e aceite a doutrina que Paulo enviou especialmente para si.

Quando Silas e Timóteo desceram da Macedónia, Paulo dedicou-se inteiramente à palavra, testificando aos judeus que Jesus era o Cristo. Actos 18-5

Irmãos, filhos da descendência de Abraão, e os que dentre vós temem a Deus, a nós é enviada a palavra desta salvação. Actos13: 26

Então Paulo e Barnabé, falando ousadamente, disseram: Era mister que a vós se pregasse em primeiro lugar a palavra de Deus; mas, visto que a rejeitais, e não vos julgais dignos da vida eterna, eis que nos viramos para os gentios, porque assim nos ordenou o Senhor: Eu te pus para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até os confins da terra. Os gentios, ouvindo isto, alegravam-se e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos haviam sido destinados para a vida eterna. Actos 13: 46-48

Posto isto, estamos em condições de compreender quem é esse homem? Acredito que grande parte das pessoas sabe que Jesus é o Cristo. Todavia, isso não basta. É realmente necessário confessar os pecados e aceitar Jesus como Salvador e Senhor das nossas vidas para garantir a nossa presença na eternidade com Deus.


Read more: http://cantorliborio.webnode.com.br/news/que-homem-e-esse-/

 
 

12 QUALIDADES DO JOVEM LÍDER

12 QUALIDADES DO JOVEM LÍDER

Neste número queremos compartilhar 12 Qualidades necessárias na vida de um Jovem Líder. Todo jovem que deseja fazer a obra de Deus deverá buscar estas qualidades em oração até que cada uma delas sejam geradas pelo Espírito Santo no seu interior. Tornando-se assim, uma realidade em sua vida. Uma observação se faz importante aqui: O Espírito Santo trará uma profunda crise, até que estas qualidades sejam geradas no interior de cada jovem, que ardentemente desejar estas qualidades impressas em seu interior, em seu caráter.

1º - O Jovem Líder deve ser: Transparente

Nada melhor do que nos relacionarmos com jovens transparentes. Esta é a marca de alguém que tem vencido o orgulho e a necessidade de ser aceito. Jovens transparentes, são jovens livres; mais ainda, refletem segurança nos relacionamentos.

2º - O Jovem Líder deve ser: Ensinavel

Jovens arrogantes e sabichões nunca aprendem nada. Se existe algo que nós jovens devemos aprender nestes dias, é a capacidade de sermos ensináveis. Disponibilidade para inclinar os ouvidos e o coração para ser ensinado, é um bom sinal.

3º - O Jovem Líder deve ser: Submisso

Uma das estratégias de Satanás na vida do jovem é fazê-lo rebelde e insubmisso. Submissão não é prisão, é liberdade. Submissão é uma dos segredos de uma vida longa, próspera e cheia de frutos. Jovens submissos às autoridades são jovens prevalecentes.

4º - O Jovem Líder deve ser: Tratável

É difícil conviver com alguém duro, resistente e cheio de razão. Jovens intratáveis nunca erram, estão sempre com a razão, justificam-se sempre e finalmente, nunca terão o caráter transformado. Afinal, são intratáveis. Aqueles que têm o coração amolecido por Deus se deixam tratar e se tornam grandes líderes na casa de Deus.

5º - O Jovem Líder deve ser: Humilde

Qualidade marcante de quem possui uma vida rendida diante do Senhor Jesus. Para estes não há lugar para o orgulho ou a soberba. Só há lugar para um coração despojado, entregue, rasgado diante do altar de Deus. Jovens com um coração humilde expressam a vida de Jesus.

6º - O Jovem Líder deve ser: Manso

Jesus disse que devemos aprender d'Ele, que é manso e humilde de coração, pois só assim encontraremos descanso para nossas almas. A humildade e a mansidão nos fazem ser semelhantes a Jesus, e traz descanso a nossa alma.

7º - O Jovem Líder deve ser: Cheio do Espírito Santo

Não pode ser cheio de si mesmo. Cheio de idéias e conceitos próprios. Deve ser cheio do Espírito. Na Bíblia, um dos símbolos do Espírito Santo é o vinho, símbolo de alegria e de vida. Assim os líderes jovens devem ser reconhecidos: cheios de alegria e cheios de muita vida de Deus - este é o nosso combustível ministerial.

8º - O Jovem Líder deve ser: Determinado

A determinação é um fator predominante na vida daqueles que querem vencer. Determinação é um ato da nossa vontade. Jovens de vontade livre terão mais facilidade para desenvolver esta qualidade.

9º - O Jovem Líder deve ser: Fervoroso

Este é o ingrediente que dá brilho ao ministério do jovem líder. Chega a ser empolgante observar alguns jovens no desenvolver de seu ministério. Há uma diferença entre um líder frio, um morno e outro fervoroso. O frio traz desânimo consigo, o morno não influencia em nada, enquanto que o fervoroso faz toda a diferença.

10º - O Jovem Líder deve ser: Motivado

Como é bom ter líderes motivados na igreja, e como é bom estar ao lado deles. Eles nos impulsionam a seguir em frente e vencer. Na verdade, a motivação do líder é responsável por 50% do êxito de seu ministério. Líderes motivados tem o crescimento desobstruído.

11º - O Jovem Líder deve ser: Disposto

Nada mais chato que tratar com pessoas indispostas. Geralmente não produzem nada, e tem a capacidade de influenciar negativamente, com sua indisposição, os que se mostram dispostos. Disposição é uma qualidade importante na liderança.

12º - O Jovem Líder deve ser: Ousado

E para finalizar, a bendita ousadia que nos conduz onde quer que o Senhor nos conduza. Uma pequena direção dada por Deus no nosso Espírito, nos fará avançar e prosperar naquilo para qual fomos dirigidos, sem qualquer dúvida, questionamento ou sentimento de incapacidade. O jovem líder que desenvolve esta qualidade, avança, prospera e supera suas próprias limitações.

Minha sincera oração, é para que o Senhor gere em nosso espírito um desejo e necessidade ardentes por estas qualidades em nossa vida. Amém


Read more: http://cantorliborio.webnode.com.br/news/a12-qualidades-do-jovem-lider/

 
 

COMO TOMAR POSIÇÃO SOZINHO

COMO TOMAR POSIÇÃO SOZINHO

O Servo de Deus, e em especial o jovem cristão, precisa saber viver em qualquer lugar ou ambiente, e dar testemunho eloquente da sua fé em Jesus Cristo, mesmo que esteja sozinho, longe do pastor, dos pais ou dos irmãos em Cristo.

Muitos, mesmo tendo nascido num lar cristão, só conseguem manter-se firmes, enquanto são crianças, levadas à Igreja pelos pais.Quando se tornam adolescentes, já começam a se sentir inseguros e chegam a desviar-se, quando se tornam jovens.

É preciso saber conduzir-se em qualquer lugar, diante de quem quer que seja, sem envergonhar-se do maravilhoso nome de JESUS.

Meditaremos em alguns aspectos que precisam ser considerados nesse assunto.

l. TOMAR POSIÇÃO NA IDENTIFICAÇÃO COM CRISTO

1.1. Como Salvo

- Nascido de novo (Jo 3.33-5);

- Regenerado: nova maneira de viver (2 Co 5.17);

- Nova maneira de pensar (Rm 12.2);

- Posição de salvo. Daniel e seus companheiros, no meio de muitos estranhos, num palácio real, não negou sua fé nem a seu Deus.

1.2. Como Discípulo

- Discípulo é aquele que segue a alguém. Somos discípulos de Jesus.

- O discípulo de Jesus tem características especiais. (Jo 13.34,35);

- O amor é a marca principal do cristão: amar a Deus, ao próximo e ATÉ aos inimigos (Mt 5.44-45).

- Tomar posição como discípulo.

1.3. Como Servo

- Servo é aquele que está disposto a servir;

- É a posição mais difícil na vida do cristão. Muitos só querem mandar, ser senhores;

- "Eu, um servo?" (Um livro recomendado);

- Jesus, Senhor e Mestre, deu-nos o exemplo (Mt 20.25-28; Jo 13.4-8; 12-15).

- É necessário tomar a posição de servo.

2. TOMAR POSIÇÃO NO TESTEMUNHO

2.1. Como Luz do Mundo

- É testemunho a ser visto pelos homens (Mt 5.14-16);

- É o testemunho em posição elevada (No velador e não debaixo da cama);

- Nós temos a luz da vida (Jo 8.12);

2.1.1. Falando de Cristo

- Sempre que tiver oportunidade (At 4.18-20);

- Falar a tempo e fora de tempo (Com sabedoria);

- É preciso ter sabedoria no falar:

. Não lançar pérolas aos porcos (Mt 7.6);

. Não perder tempo com o herege (Tt 3.10);

- Preparado para responder com mansidão (1 Pe 3.l5);

- Há cristãos que não gostam de falar de Cristo. Têm vergonha ( Lc 9.26);

2.l.2. O Testemunho na Escola

- Em nosso livro "A Família Cristã nos Dias Atuais", damos uma orientação sobre como tomar posição como crente na escola;

- Ali, há grande índice de pessoas que se desviam da fé;

- As igrejas não têm condições de manter escolas em todos os níveis. Bom seria que pudesse tê-las pelo menos até o segundo grau; (Já há muitas escolas dentro da Nova Era);

- A escola é um desafio ao testemunho, à tomada de posição: PROFESSORES, COLEGAS, MATERIALISMO, DROGAS, LIBERTINAGEM, RELATIVISMO, ETC);

- Como se conduzir na escola:

. Orar antes de sair de casa;

. Ser um leitor da Bíblia;

. Não se ocultar como crente;

. Não se irritar quando for criticado;

. Ser bom aluno;

. Pesquisar e ler bons livros evangélicos;

2.1.3. O Testemunho no Trabalho

- Um desafio tão grande quanto o da escola;

- É importante saber conduzir-se como na escola: orar antes de ir para o trabalho, ler a Bíblia, Não se ocultar como crente, não se irritar quando for criticado,

- Especificamente, o cristão deve ter os seguintes cuidados no trabalho:

. Ser pontual e assíduo;

. Ser eficiente;

. Ter a presença de Deus. Ver o exemplo de José: "O Senhor era com ele" (Gn 39.4-4)

. Ter cuidado com "AS ARMADILHAS DO AMBIENTE": Grande parte das horas do dia passamos no trabalho. Aí, podem surgir tentações, "convites", assédios, sexo, dinheiro, ameaças de perda do emprego, etc.. José foi assediado por uma mulher ímpia no trabalho, na casa de Potifar. ( Extraído do livro A FAMILIA CRISTÃ NOS DIAS ATUAIS).

2.l.4. O Testemunho no Namoro ou Noivado

- Só namorar uma pessoa crente (2 Co 6.14);

- Respeitar o "terreno dos solteiros".

- Lembrar que nosso corpo é templo do Espírito Santo ( 1 Co 6.19-20)

- Fugir dos desejos da Mocidade (2 Tm 2.22);

- Convidar Cristo para estar presente no namoro ou noivado.

2.l.5. O Testemunho com a vida

- Como Sal da Terra

- É o testemunho silencioso: não se vê, mas se sente (Mt 5.13);

- O sal preserva, conserva e dá sabor : Não ser de mais nem de menos;

- Sal de mais: fanatismo; sal de menos: frieza, pecado, sem sabor;

- O fruto do Espírito: Temperança (vem de tempero): em tudo; no orar, estudar, jejuar, etc).

- "Assim falai e assim procedei"(Tg 2.12);

- Não devemos ser como os fariseus hipócritas;

- Grandes pregadores arruinaram seus ministérios porque não pregaram com a vida: só com palavras!

3. OBSTÁCULOS À TOMADA DE POSIÇÃO

3.1. Receio da opinião dos outros

- O receio arma laços (Pv 29.25);

- A pessoa fica presa. Não toma posição;

- Não devemos agradar a homens quando precisamos tomar posição como crentes ( Gl 1.10).

3.2. Inveja secreta do ímpio

- Prejudica a tomada de posição;

- É preciso avaliar a situação do ímpio (Sl 9.17);

- DAVI quase se desviou (Sl 73. 17-20);

- MOISÉS preferiu sofrer a pecar (Hb 11.23-29).

3.3. Receio de perder amigos

- JESUS disse: "Quem não é comigo é contra mim" (Mt 12.30);

- Quem são os amigos de Jesus (Jo 15.14);

- Quem são os amigos do mundo (Tg 4.4; 1 Jo 2.15-17);

- Quem são os companheiros do crente ( Sl 119.63);

- É interessante ter amigos, mas comunhão só com os servos de Deus ( Rm 12.18);

- O MELHOR AMIGO É JESUS! Devemos tomar posição ao lado dEle.

4. COMO TOMAR POSIÇÃO SOZINHO ACERTADAMENTE

4.1. Fazer tudo para a glória de Deus (1 Co 10.31);

4.2. Fazer tudo em nome de Jesus, dando graças a Deus ( Cl 3.17);

4.3. Fazer de todo o coração, como ao Senhor (Cl 3.23);

4.4. Fazer o que é lícito e conveniente diante de Deus ( 1 Co 10.23);

4.5. Não dar escândalo ao mais fraco ( 1 Co 8.9-13);

4.6. Não fazer em caso de dúvida (Rm 14.23);

4.7. Lembrar que vamos dar contas a Deus de todas nossas obras (Rm 14.11,12; Ec 11.9).

4.8. Evitar a aparência do mal ( 1 Ts 5.22).

BIBLIOGRAFIA
. Bíblia Sagrada. Edição Revista e Corrigida. São Paulo, Editora VIDA, 1982.
. LIMA, Elinaldo Renovato de. A Família Cristã nos Dias Atuais. Rio, CPAD, 1993.
. COY, Larry. Conflitos da Vida. Belo Horizonte, Ed. Betânia, 1972


Read more: http://cantorliborio.webnode.com.br/news/como%20tomar%20posi%c3%a7%c3%a3o%20sozinho/

 
 

UMA ESCOLHA SOBERANA

UMA ESCOLHA SOBERANA

TEXTO BÁSICO:

Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua

parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei

uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma

bênção! (Gn 12:1-2)

INTRODUÇÃO

Em nossos dias, soberania só é entendida como um atributo

de cada pessoa. Cada indivíduo quer e procura fazer suas próprias

escolhas e ditar suas próprias regras. Conseqüentemente, as pessoas se recusam

a aceitar a interferência de Deus em suas vidas. A Bíblia, no entanto,

nos apresenta um relato, em Gn 12:1-9, sobre o momento em que Abrão foi

escolhido para ser aquele de quem descenderia o Cristo. A ordem não fazia

sentido algum, mas ele confiou no Deus soberano que o escolhia. No estudo

desse relato, aprenderemos que a escolha soberana de Deus é surpreendente,

encorajadora, misericordiosa e abrangente. Também conheceremos

três princípios que nos encorajarão a nos rendermos à soberania de Deus.

ANALISANDO O RELATO BÍBLICO

Abrão era descendente de Sem, que era filho de Noé. Morava em Ur dos

caldeus, uma cidade ao norte da Mesopotâmia. Como filho primogênito de

Tera, seria o herdeiro legítimo de todos os privilégios e as responsabilidades

que cabiam ao patriarca de um clã (família). Abrão, porém, não teria herdeiro,

pois Sarai, sua esposa, era estéril. Mas o rumo da história desse homem foi

completamente mudado, quando recebeu uma ordem e promessas maravilhosas

de Deus. Abrão havia sido escolhido para algo muito especial. Vamos

conhecer, agora, quatro características dessa escolha soberana de Deus.

1. A escolha soberana de Deus é surpreendente:

O texto de Gn 12:1-9 inicia-se assim: Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei (v.1).

Essas palavras foram ditas no momento menos esperado para Abrão e

por quem ele não conhecia. Com certeza, Abrão se surpreendeu com

aquele pedido, pois, nos versículos anteriores, não há informação alguma

de que ele tivesse qualquer noção do pedido que Deus lhe faria. Não

há também nenhum indício de que o futuro patriarca buscava uma divindade

diferente daquelas que o povo de Ur costumava adorar.

Antes de narrar a escolha soberana de Deus com relação a Abrão, o

autor de Gênesis, no capítulo anterior (vv. 10-27), apresenta a genealogia

de Sem. Há, também, a narrativa da constituição das famílias de Abrão

e Naor, bem como a mudança de Abrão, sua esposa, seu sobrinho, Ló,

e seu pai, Tera, de Ur para Harã. Foi após a morte de Tera que ocorreu

o momento inesperado. Deus ordenou que Abrão saísse de sua terra,

quando este pensava que ficaria ali, para suceder seu pai no patriarcado

da família. O Senhor o surpreendeu, escolhendo-o para ser o patriarca de

todos os fiéis (Gn 12:3). Abrão nunca havia imaginado tal coisa.

2. A escolha soberana de Deus é encorajadora:

Deus não havia pedido algo fácil a Abrão. Sair de Harã implicava perdas para ele: dos privilégios de herdeiro de seu pai, da companhia de amigos e parentes. Porém,

ao escolhê-lo, o Senhor também lhe fez promessas: ...de ti farei uma grande

nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção!

Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem;

em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12:2-3).

Com esse encorajamento, o Senhor mostrou que sua escolha implicava algo muito maior

que qualquer prestígio terreno: um plano eterno de salvação.

As promessas de Deus encorajaram Abrão a tomar a decisão de partir

de Harã: Levou Abrão consigo a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu

irmão, e todos os bens que haviam adquirido, e as pessoas que lhes acresceram

em Harã. Partiram para a terra de Canaã; e lá chegaram (Gn 12:5).

Ao encorajá-lo, o Senhor estava produzindo fé no coração de seu servo,

fazendo-o confiar em sua palavra. Só Deus poderia cumprir promessas

tão grandiosas! Abrão entendeu que aquele que lhe prometia o impossível

é digno de confiança. Foi, pois, o caráter confiável de Deus, revelado

nas suas promessas, que encorajou Abrão.

3. A escolha soberana de Deus é misericordiosa:

Como já dissemos anteriormente, não há nada no texto bíblico que nos leve a acreditar

que Abrão já adorava a Deus, antes de ter esse encontro com ele. Abrão

habitava em uma terra idólatra e não conhecia o Senhor. Não partiu dele

a iniciativa de buscar a Deus. Abrão estava cuidando de sua família e de

seus bens e não lhe passava pela mente que havia um Deus amoroso

preocupado em salvar a humanidade. Tampouco ele sabia que esse Deus

o escolhera para ser pai daquele que seria o Salvador.

Foi o Senhor quem buscou Abrão, que, como todo o restante da humanidade,

estava condenado a morrer eternamente! Ele, que merecia

passar o restante de sua vida na infelicidade de nunca ter um filho, recebeu

a promessa de que seria pai de uma nação. Abrão estava morto em

seus pecados (Ef 2:5), sem a mínima condição de ter fé. Deus, porém, lhe

encheu a vida de esperança e o fez crer no impossível. Isso nos lembra o

que foi dito pelo profeta Jeremias: As misericórdias do Senhor são a causa

de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim (Lm

3:22). Deus escolheu Abrão por pura misericórdia!

4. A escolha soberana de Deus é abrangente:

Se observarmos atentamente nas promessas de Deus a Abrão, perceberemos que elas não se limitam a uma pessoa em particular. Ele não seria o único beneficiado. O

restante da humanidade também estava incluído na bênção: ...em ti serão

benditas todas as famílias da terra. Deus tinha um plano para salvar

a humanidade e escolheu Abrão para ser pai da nação através da qual

esse plano se concretizaria. A partir da descendência dele, o ser humano

conheceria o seu criador, o único Deus.

Nesse sentido, a escolha de Deus não foi por um indivíduo em especial.

Na verdade, ao escolher Abrão, o Senhor queria mostrar seu

amor à humanidade toda e reconduzi-la para junto de si. O patriarca

não viveu para ver quão grande se tornaria sua descendência, mas

creu que a promessa de Deus se cumpriria. De fato, ela se cumpriu

plenamente: no devido tempo, Deus enviou seu Filho Jesus Cristo ao

mundo, para pagar o preço de nosso resgate com seu próprio sangue.

A promessa de Deus se cumpriu no descendente de Judá, filho de

Jacó, que foi neto de Abrão (Mt 1:1-17). Através do sangue de Jesus,

fomos reconciliados com o Pai e passamos a ser seus filhos. Em Jesus,

a salvação é garantida a todo que crê.

Podemos entender, portanto, que a escolha de Deus não teve por

base qualquer qualidade especial do patriarca. Não havia nada em

Abrão que o tornasse mais digno que outras pessoas para ser o pai da

nação de Israel e o pai de todos os crentes em Jesus. Trata-se de uma

escolha soberana. Essa escolha se tornou manifesta de forma surpreendente,

encorajadora, misericordiosa e abrangente. Abrão creu, não

porque já tivesse fé antes de ser escolhido, mas porque foi capacitado

a crer, por aquele que lhe fizera promessas de um futuro grandioso. Foi

tão somente o caráter confiável de Deus a garantia do patriarca.

LIÇÕES PARA VIVER

1. A escolha de Deus é soberana! Vamos atendê-la com renúncia.

Abrão tinha tudo para negar-se a atender a ordem de Deus. Como

renunciaria ao convívio de seus parentes e amigos, aos prestígios de

que desfrutaria como chefe de sua família? Deus parecia estar pedindo

demais! Todavia, ao invés de olhar para o valor do que teria de

renunciar, Abrão atentou para a excelência do caráter do Deus que o

escolhia, nas promessas que lhe fazia. Precisamos também reconhecer

que o Senhor é mais precioso que qualquer bem terreno ou qualquer

prazer temporário. Deus é soberano e nos quer por inteiro (Mt 15:27;

Lc 14:26-27). Por ele, vale a pena renunciarmos nossas vontades infames.

Se o buscarmos, ele nos capacitará a isso.

2. A escolha de Deus é soberana! Vamos atendê-la com submissão.

Chama-nos à atenção a primeira parte do versículo 4 de Gênesis

12, que diz: Assim partiu Abrão, como o Senhor lhe tinha dito. Abrão,

além de demonstrar renúncia, demonstrou submissão completa a

Deus. Ele se preocupou em fazer tudo como o Senhor lhe tinha dito,

e não o fez por simples obrigação, mas por fé. Abrão realmente entendeu

a soberania de Deus! Da mesma forma, se entendemos que

Deus merece a nossa submissão, temos prazer em obedecer-lhe e

desejamos a sua interferência na nossa vida. Portanto, não haverá

lugar para a insubordinação, quando reconhecermos que as escolhas

de Deus são o melhor para nós.

3. A escolha de Deus é soberana! Vamos atendê-la com adoração.

Nos versículos 7 e 8 do capítulo 12, o autor de Gênesis diz que Abrão

edificou altares a Deus. Com essa atitude, o patriarca estava reconhecendo

o Senhor como o único digno da sua adoração; estava renunciando

a si mesmo e reconhecendo o Deus soberano como o único

Senhor de sua vida. Abrão mostrou-se um verdadeiro adorador, pois o

reconhecimento de sua confiança em Deus não era apenas de palavras,

mas também de atos. Será que temos feito o mesmo? Não precisamos

mais construir altares de tijolos para adorar a Deus, mas precisamos reconhecer,

com palavras e atitudes, a excelência do seu caráter.

CONCLUSÃO

Abrãao não tinha motivos para se gloriar, mas tinha

muitos motivos para se alegrar, pois fora surpreendido, encorajado e

alcançado pela misericórdia de Deus. Ele fora escolhido dentre todos

os seres humanos de seu tempo para gerar a nação eleita por Deus,

a nação de Israel, da qual viria o Salvador. Que o estudo do relato

de Gn 12:1-9 nos sirva de auxílio para entendermos a surpreendente,

encorajadora, misericordiosa e abrangente escolha soberana de Deus

para nós, e que o exemplo do patriarca nos encoraje a atendê-la com

renúncia, submissão e adoração.

 
 

UMA VERDADEIRA OFERTA

 

UMA VERDADEIRA OFERTA

TEXTO BÁSICO:

Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do

fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Abel, por sua vez, trouxe das primícias

do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e

de sua oferta. (Gn 4:3-4)

INTRODUÇÃO

Os irmãos Caim e Abel já nasceram fora do paraíso,

com a natureza pecaminosa, e protagonizaram uma das histórias mais

triste de todo relato bíblico. Caim matou seu próprio irmão! O intrigante

é que tudo começou quando cada um, a sua maneira, apresentou uma

oferta ao Senhor, que, por sua vez, aceitou com agrado Abel e sua oferta,

mas não aceitou Caim e sua oferta (Gn 4:3-4 ). Mas por que Deus

aceitou uma oferta e rejeitou a outra? É isso que veremos neste estudo,

que tem muito a nos ensinar sobre a maneira correta de nos aproximarmos

de Deus. Então, vamos ao estudo!

ANALISANDO O RELATO BÍBLICO

O capítulo 4 de Gênesis conta a história de Caim e Abel, os primeiros bebês

nascidos no mundo, filhos de Adão e Eva. Nesse capítulo, nós também

encontramos o primeiro relato bíblico de um ato de adoração na história da

humanidade. Pois bem, ao estudarmos um pouco mais sobre esse relato,

veremos que, sem uma atitude interior correta, as mais “bonitas” ofertas

externas tornam-se inaceitáveis para Deus. Para entendermos isso de forma

mais clara, tracemos um paralelo entre os dois filhos de Adão e Eva e entre

as atitudes deles com relação à oferta que apresentaram a Deus.

1. Os dois filhos:

Deus ordenou a Adão e Eva: ...enchei a terra (Gn 1:28)

e eles obedeceram gerando filhos e filhas (Gn 5:4). O primogênito do

casal foi Caim (Gn 4:1). Apesar de Deus ter multiplicado grandemente

o sofrimento na gravidez e no parto (Gn 3:16), Eva deve ter se alegrado

com nascimento de seu primeiro filho. Ela exclamou: Com a ajuda de Deus,

o Senhor, tive um filho homem. E ela pôs nele o nome de Caim (Gn 4:1).

O significado que mais se aproxima ao nome de Caim é “adquirido

do Senhor”. Pena que ele foi uma grande decepção para seus pais.

Os dias, os meses e, quem sabe, até anos se passaram e Eva deu à

luz novamente: Tornou a dar a luz, e teve Abel (Gn 4:2). O nome desse

segundo filho deriva-se de um vocábulo hebraico que quer dizer “sopro”

ou “vapor”. Alguns comentaristas chegam a sugerir que o nome pode

também significar “fraqueza” ou “vaidade”. Os dois significados podem

ser verdadeiros. Não sabemos se esse era o objetivo de Adão e Eva, mas

os nomes desses dois irmãos lembram algumas verdades importantes.

Caim, “adquirido do Senhor”, nos lembra que a vida vem de Deus, enquanto

Que Abel, “vapor”, “sopro”, “fraqueza” ou “vaidade”, nos lembra

que a vida é breve.

Apesar de serem irmãos, eles eram bem diferentes um do outro. Ao

passar os dias, ficava cada vez mais evidente que cada um tinha suas próprias

habilidades e interesses distintos. Caim se tornou lavrador da terra.

Preparar a terra, semear e fazer colheitas eram as coisas que mais gostava

de fazer. Abel, o caçula, tornou-se pastor de ovelhas. Seu prazer era

cuidar do rebanho (Gn 4:1-2). Os dois escolheram boas profissões! Sem

dúvida alguma, Adão deve ter ensinado para os seus filhos a importância

do trabalho. Deve ter dito para eles que eram privilegiados por poderem

trabalhar, como ele próprio fazia (Gn 2:15).

Ambos conheciam a Deus. Certamente, seus pais haviam lhes ensinado

sobre o Criador e sobre o valor de buscá-lo. Por isso, eles tinham

necessidade de aproximar de Deus e adorá-lo. Então, passado o tempo,

certo dia, ambos, Caim e Abel, trouxeram uma oferta ao Senhor (Gn 4:3-4).

O texto não diz e nem deixa transparecer que essa oferta foi ordenada.

Eles fizeram isso voluntariamente. Esse gesto, provavelmente,

era uma resposta de gratidão deles a Deus, pela dádiva da

fertilidade da terra e dos animais. Vejamos como aconteceu.

2. As duas ofertas:

Caim e Abel, cada um de acordo com a sua profissão,

ofereceram do resultado do seu trabalho ao Senhor: ...trouxe Caim

do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel também trouxe dos primogênitos

das suas ovelhas e da sua gordura (Gn 4:3-4). O Senhor se agradou de

Abel e de sua oferta, mas reprovou Caim e sua oferta. Não sabemos como

eles ficaram sabendo disso. Talvez Deus tenha demonstrado sua aprovação

enviando fogo do céu, ou, quem sabe, isso se tornou evidente, quando

o rebanho de Abel se multiplicou, enquanto a colheita seguinte de Caim

foi um fracasso. Seja como for, Deus fez a sua escolha conhecida.

Ao se sentir rejeitado, Caim despejou toda a sua ira sobre seu irmão, e o

matou (Gn 4:5,8). Cabe-nos, aqui, uma pergunta: Por que o Senhor aceitou

uma oferta e rejeitou a outra? O problema estava na oferta ou no ofertante?

Muitos dizem que o problema estava na oferta, visto que uma envolvia

morte e derramamento de sangue e a outra, não. Todavia, “não é correto

afirmar que a ausência de sangue desqualificou a oferta de Caim e qualificou

o sacrifício prestado por Abel. Caim foi rejeitado por que a intenção do

seu coração era má”. Isso ficou evidenciado na sua atitude posterior.

O problema não foi o que eles ofertaram, mas a atitude com que o fizeram.

Tanto a oferta de animais como a de frutos da terra, que, até então,

não haviam sido normatizadas, eram aceitas por Deus. Observe que, na

sentença de aprovação e reprovação de Deus, nos versículos 4 e 5 de Gênesis

capítulo 4, os nomes dos ofertantes aparecem antes das referências

as suas ofertas. Deus está “mais interessado” na pessoa do ofertante do que

no tipo da oferta. Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um

coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus (Sl 51:17).

Caim não foi rejeitado por causa da oferta que escolheu, mas por causa

de si mesmo, diferentemente de Abel, que “veio a Deus com atitude certa

de um coração disposto a adorar e pela única maneira em que os ho-

mens pecadores podem se aproximar do Deus santo”. Abel era especial!

O Novo Testamento mostra que a sua fé era diferente da de Caim: Pela

fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim (Hb 11:4); e

também mostra que as suas obras eram diferentes das dele: Caim (...) era

do maligno (...) suas obras eram más, e as do seu irmão justas (I Jo 3:11).

Culto e oferta só agradam a Deus quando o ofertante tem fé e obras, o

que não era o caso de Caim. A essa altura, é bom entendermos que a oferta

também é importante para Deus, mas não é o principal. Jesus disse: ...se

trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares que teu irmão tem alguma

coisa contra ti, deixa diante do altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te

com teu irmão (Mt 5:23-24). Note que a ênfase de Cristo está no ofertante.

Abel foi aprovado como ofertante! E nós? Na seqüência deste estudo, vamos

considerar, pelo menos, três marcas de uma oferta que agrada ao Senhor.

LIÇÕES PARA VIVER

1. Uma oferta que agrada ao Senhor é marcada pela voluntariedade.

Leia com atenção todo o texto de Gênesis capítulo 4, versículos 1

a 5, e você vai constatar que as ofertas de Caim e Abel não são frutos

de uma imposição, mas produtos da voluntariedade. Elas foram espontâneas!

Adorar a Deus não deve ser encarado como uma obrigação

penosa, um fardo pesado a se carregar; muito pelo contrário, ela

deve brotar de um coração voluntário. Jesus disse que o Pai “procura”

os verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade (Jo

4:23). Ele “procura” e não os “obriga” a isso. Davi entendeu a vontade

de Deus, e tudo o que ofereceu ao Senhor foi espontaneamente e com

integridade de coração (I Cr 29:17 ).

2. Uma oferta que agrada ao Senhor é marcada pela qualidade.

Preste atenção nos detalhes fornecidos pelo autor sagrado, no que diz respeito

às ofertas de Caim e Abel. Primeiro Caim: A Bíblia não diz que ele pegou

as “primícias dos frutos da terra”, ou seja, os primeiros e melhores frutos. Mas

diz: Caim pegou alguns produtos da terra (Gn 4:3). Não estamos querendo

dizer que os frutos de Caim eram ruins, mas, talvez, não fossem os melhores.

Isso não desqualifica sua oferta, afinal, não havia uma regra que dizia que o

Senhor aceita apenas as “primícias dos frutos da terra”, como também não

existia uma regra que dizia que o Senhor só aceitava os “primogênitos das

ovelhas”. Entretanto, observe o diferencial em Abel, que por sua vez, pegou

o primeiro carneirinho (...) e ofereceu as melhores partes ao Senhor (Gn 4:3-4).

Aquele que tem atitudes internas corretas, sempre oferecerá o seu melhor ao

Senhor, e essa oferta, com certeza, lhe agradará! Faça isso.

3. Uma oferta que agrada ao Senhor é marcada pela sinceridade.

Imagine Caim e Abel indo adorar a Deus. Caim, com seus lindos frutos

da terra, e Abel, com o melhor dos seus rebanhos. Duas ótimas ofertas!

Quem olhasse de fora, seria incapaz de pensar em rejeitar uma delas. Mas

Deus não vê como vê o homem. O homem olha para o que está diante dos

olhos, porém o Senhor olha para o coração (I Sm 16:7). Davi sabia disso: Bem

sei, meu Deus, que tu provas os corações e que da sinceridade te agradas (I

Cr 29:17). Deus se agradou da sinceridade de Abel e aceitou sua oferta. E

quanto a nós? Quando o adoramos, há sinceridade em nosso coração?

CONCLUSÃO

Você conseguiu entender por que Abel e sua oferta

foram aceitos, enquanto Caim e sua oferta foram rejeitados? Que o

Senhor Deus nos livre do caminho de Caim (Jd 11), pois ele é a trilha

da morte! Procuremos sempre andar pelo caminho de Abel, que conseguiu

aprovação de Deus como homem correto, tendo o próprio Deus

aprovado as suas ofertas (Hb 11:4 ). Com espírito quebrantado,

coração compungido e contrito, aproximemo-nos do Senhor! E, assim

como a de Abel, que a nossa oferta seja marcada pela voluntariedade,

pela qualidade e pela sinceridade.

 
 

O JOVEM E A INTERNET

O JOVEM E A INTERNET 

A Internet foi criada em 1969, nos Estados Unidos. No Brasil, a Internet chegou por volta de 1988, para auxiliar nas pesquisas universitárias, e sua operação estava subordinada ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Mas foi somente a partir de 1995, que a Embratel, por meio de uma autorização do Ministério das Telecomunicações, disponibilizou seu acesso para o uso comercial.
O crescimento da Internet no mundo é espantoso, são mais de 600 milhões de pessoas ligadas; os brasileiros são 5% deste universo, aproximadamente 30 milhões. A Internet é um mundo virtual muito semelhante ao real, nele encontra-se sites abordando todos os temas possíveis, especialmente: pornografia, sexo e assuntos espiritualistas. 
Em meio a estas densas trevas a luz do Senhor tem brilhado, dissipando-as; eis que surgem diariamente novos pontos de luz, são sites que procuram honrar e glorificar o nome Santo do Senhor Deus, disponibilizando verdadeiros oásis, com águas puras que restauram vidas. Ao servo, a opção de honrar a Deus, acessando páginas dignas dos santos, ou, a satisfação da carne e suas conseqüências. Irmãos não esqueçam, as más ações, mesmo que virtuais são pecado e como tal, passíveis de condenação eterna. (1Co 6.12)
“Todo caminho do homem é reto aos seus próprios olhos, mas o Senhor sonda os corações.” Pv 21.2 (Veja também: Sl 7.9; 17.3; 139.1)
“...Eu sou aquele que sonda mente e corações, e vos darei a cada um, segundo as vossas obras.” Ap 2.23
Um teclado, um monitor e o mundo, literalmente um mundo pela frente. Assim é a Web; incontestavelmente um veículo altamente influenciado pelo maligno, e sabiamente usado por ele; que no anonimato da virtualidade oferece aos ávidos pelo pecado, a satisfação, em especial aos buscam a pornografia e filosofias espiritualistas e ou satânicas. A net envolve todas as faixas etárias, indistintamente. Constato que os cristãos em especial os jovens têm feito uso desta ferramenta para secretamente extravasar toda a maldade da carne. Anônimos, fora do alcance dos olhos de familiares, presbíteros, pastores e demais autoridades da igreja; encontram uma situação de liberdade que os encoraja a agir segundo as inclinações de seus corações e fazem coisas terríveis. Esquece-se que o Senhor a tudo vê e certamente tais pecados não passam desapercebidos diante do trono e serão cobrados no tempo oportuno (Ap 2.23).
Não é aconselhável ao servo de Deus: 

1 – Acessar sites Eróticos e Pornográficos.
É preciso que os servos de Deus tenham o devido cuidado com a vida espiritual, não permitindo que a impureza se aloje, afastando-lhes da comunhão verdadeira com o Eterno. Amados, é um engano pensar que o acesso a tais páginas não produz um efeito devassador na vida, é praticamente impossível, não se contaminar com os desejos baixos produzidos pela carne. O Senhor nos deixa uma palavra clara de alerta contra a impureza, sua prática apaga o Espírito de Deus. 
“Eles perderam toda a vergonha e se entregaram totalmente aos vícios; eles não têm nenhum controle e fazem todo tipo de coisas indecentes... Vocês fazem parte do povo de Deus; portanto, qualquer tipo de imoralidade sexual, indecência ou cobiça não pode ser nem mesmo assunto de conversa entre vocês.” Ef 4.19 e 5.3
“Ele castigará especialmente os que seguem os seus próprios desejos imorais e desprezam a autoridade dele.” 2Pe 2.10

2 - Sexo Virtual (masturbação ou conversas sensuais).
Sexo virtual é pecado! Sua pratica envolve masturbação, conversas impuras e baixas. O peso de sua prática assemelha-se ao da fornicação e ou adultério. Os seus praticantes estão destituídos da verdadeira comunhão com Deus e estão debaixo de condenação eterna.
”Vocês fazem parte do povo de Deus; portanto, qualquer tipo de imoralidade sexual, indecência ou cobiça não pode ser nem mesmo assunto de conversa entre vocês.” Ef 5.3
“Deus não nos chamou para vivermos na imoralidade, mas para sermos completamente dedicados a ele.” 1Ts 4.7 ; Hb 13.4)
“Que o casamento seja respeitado por todos, e que os maridos e as esposas sejam fiéis um ao outro. Deus julgará os imorais e os que cometem adultério.” Hb 13.4

3 - Bate Papo / Chat.
Estas salas de conversação são usadas por muitos para construir amizades e em outros casos, até falarem do amor do Senhor. Infelizmente, nota-se que as designadas aos Cristãos/Evangélicos dos grandes portais, são verdadeiras praças nas quais muitos freqüentadores influenciados por espíritos malignos se portam como filhos das trevas. Lamento a ingenuidade de muitos que insistem em “jogar pérolas aos porcos” (Mt 7.6) expondo ao ridículo a palavra santa do Senhor e, pela vida de muitos crentes que escondido atrás de um “Nickname” mostram suas inclinações pecaminosas, usando expressões baixas e mentiras. A consciência de uma vida santa deve envolver todo o nosso ser, a ponto de produzirmos os frutos do Espírito Santo em todas as situações, inclusive, nas ações numa sala de Chat, nossas palavras devem ser continuamente uma expressão de louvor a Deus. Oh graças!
“A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.” Cl 4.6
”Ordena e ensina... Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, tornar-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” 1Tm 4.11,12
”Põe guarda, Senhor, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios” Sl 141.3
”E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus...” Sl 40.3

”Habite ricamente em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos e hinos e cânticos espirituais, com gratidão, em vossos corações. E tudo que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus.”   Cl 3.16,17                                                                                                                                     

                                                   Sites do Senhor


Mas, em meio a este mar de coisas terríveis, visualizamos ilhas que são verdadeiros paraísos espirituais, nas quais podemos aportar e desfrutar das delicias que nos são apresentadas. Verdadeiro alimento que fortalece a nossa fé e concede-nos disposição para continuarmos firmes e inabaláveis na caminhada em direção à cidade santa. Estes sites devem ser visitados e ajudados, são pontos de luz em meio às trevas.
Amados Pais, Amados Irmãos:
O Senhor colocou em nossas mãos a responsabilidade pela instrução dos filhos nos caminhos santos (“Guardem sempre no coração as leis que eu lhes estou dando hoje e não deixem de ensiná-las aos seus filhos. Repitam essas leis em casa e fora de casa, quando se deitarem e quando se levantarem.” Dt 6.6,7), procure conhecer qual a vida que eles tem levado na Net, sente-se e os aconselhe, faça-os refletir sobre os perigos da rede, bem como, sobre a necessidade de serem santos em todo o proceder, seja no acesso a site impróprios, em chats e até mesmo na incompatibilidade da prática hacker. 
Amados do Senhor estejam atentos e não se deixem enganar pela obra sutil do diabo. Lembre-se, ele anda ao nosso lado à procura de uma brecha, e encontrando-a entra e destrói a vida.
Vamos fazer uso da Internet de uma forma santa e edificante! 
“Sede santos, porque eu sou santo.” 1Pe 1.16

 
 

PROCURA-SE ADORADORES

 

PROCURA-SE ADORADORES

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o pai em espírito e em verdade, porque o pai procura a tais que assim o adorem. (Jo 4.23)

                                                                         INTRODUÇÃO

Por meio da adoração e permanência na presença de Deus, a alegria Divina é liberada naturalmente sobre nossas vidas. A adoração em espírito nos coloca dentro da sala e diante do trono do Cordeiro.

Para adorar a Deus é preciso agradá-lo e para agradá-lo faz-se necessário conhecê-lo, saber quem Ele é. A vontade de Deus é que saibamos quem Ele é. Não é possível imaginar um verdadeiro adorador que esteja fora dessa realidade.

ADORAR EM ESPIRITO, E EM VERDADE

       Em Espírito – Porque o espírito é algo mais profundo e sublime do ser humano. E indica o nível em que deve ocorrer a adoração verdadeira. Devemos comparecer diante de Deus com total sinceridade e num espírito dirigida pela vida e atividade do Espírito Santo.

          Em verdade - Porque a verdade é uma característica de Deus (Sl 31.5), encarnada em Cristo (Jo 14.6), e algo inseparável do Espírito Santo. Por isso, a adoração deve ser prestada de conformidade com a verdade do pai que se revela no Filho e se revela mediante o Espírito. Aqueles que propõem um tipo de adoração que ignora a verdade e as doutrinas da palavra de Deus desprezam no seu todo o único alicerce da verdadeira adoração.        JESUS CRISTO É A VERDADE!!!

OS ANJOS ADORAM

Apocalipse 5.9-13 – Lucas 2.13,14

          A adoração é o relacionamento de conhecimento, intimidade e devoção que caracteriza o estilo de vida que o homem tem com o Seu Criador, Salvador e Amigo. A adoração está totalmente ligada ao cristianismo desde a chegada de Jesus até o arrebatamento da Igreja e toda a eternidade.

OS MAGOS DO ORIENTE ADORAM

Mateus 2.1-12

          Quando se diz: uns magos, o termo se refere a personagens de um país oriental não especificado, que estudavam os astros e viam neles sinais do curso da história humana. O texto não diz quantos sábios eram. Estes representam, antecipadamente, os povos não-judeus que chegaram a reconhecer Jesus como o Cristo ou o Messias. Eles eram de longe, mas buscaram o conhecimento a respeito do Eterno e vieram adorar Àquele que é o Grande Rei.

          Observando o comportamento dos magos do oriente é possível aprendermos como adorar ao Senhor.

1º - ADORADOR / BUSCA O CONHECIMENTO. Os magos do oriente, através do exame das profecias, tomaram conhecimento que nascera o Grande Rei (Mt. 2.2).

2º - ADORADOR / EMPREENDEM ESFORÇO PARA PRATICAR O CONHECIMENTO. Os magos vieram de longe para adorar o Rei dos judeus que nascera (Mt. 2.1).

3º - ADORADOR / QUEREM ESTAR ONDE HÁ A MANIFESTAÇÃO DA PRESENÇA DE DEUS JUSTAMAENTE COM O OBJETIVO DE ADORAR. Os magos tinham informações proféticas a respeito do nascimento do menino e tomaram a atitude de buscá-lo para adorá-lo (Mt. 2.2).

4º - ADORADOR / ALEGRAM-SE COM OS INDICADORES DO AVIVAMENTO. Os magos se alegraram com o sinal da estrela no céu (Mt. 2.10).

5º - ADORADOR / POSSUEM UMA POSTURA DE HUMILHAÇÃO, TÊM PRAZER EM OFERTAR E TOMAM ATITUDES INSPIRADAS PELO PRÓPRIO SENHOR. Os magos ao acharem o menino tomaram a posição correta e fizeram sua oferta Àquele que é digno, uma verdadeira adoração profética (Mt. 2.11).

Ouro – uma indicação da sua realeza;

Incenso – uma indicação de seu sacerdócio;

Mirra – uma indicação de ministério profético.

MARIA, UMA VERDADEIRA ADORADORA

Lucas 10.38-42 / João 12.3

           O melhor nível espiritual de alguém não é marcado pelo serviço que faz, mas pela intimidade vívida com o Amado Jesus. A maior intimidade do Rei não é com os trabalhadores dele, mas com os seus filhos e amigos.  “Já não chamo servos...     ... mas chamei-vos amigos”.

            Jesus nos convida a adorarmos a Ele, principalmente antes de servi-lo. Jesus está desejoso de encontrar adoradores.

DEUS PROCURA ADORADORES

            Ele não procura louvador, existem milhares por todos os cantos. É importante notar que Ele não busca simplesmente a adoração, mas a adoradores. O Senhor busca indivíduos que queiram comprometer-se, consagrarem-se, dispostos a render-Lhe adoração livre e espontaneamente.

CONCLUSÃO

           Alguém disse certa vez, que nossa adoração a Deus somente será medida pelo grau de conhecimento que tivermos sobre Ele. Não se engane! O conhecimento que Deus quer que você tenha dEle, não é o acúmulo de informações que possa ter obtido através de algumas leituras ou de algo que tenha ouvido, mas algo que seja fruto das experiências vívidas na convivência diária. Portanto é indispensável desenvolver diariamente um relacionamento intimo, amoroso e sempre renovado. É isso que Ele deseja, Ele está à procura de adoradores.

Referências Bibliográficas: Bíblia de Estudo Pentecostal;

                                               Livro Estar em Cristo – Jayro Kaillo

                                                                                                   



 
 

O TEMPLO, A TATUAGEM E O PIERCING

VOCÊ É TEMPLO DE DEUS? - I PARTE

Leitura base - I Coríntios 6:19 e Gálatas 3:26-29

O TABERNACULO

Antes da construção do Tabernáculo segundo as instruções de Deus a Moisés, o povo hebreu já havia sido liberto do Egito, testemunhado vários milagres em sua peregrinação no deserto, já haviam recebido os 10 mandamentos, e dava-se início as confecções das leis mosaicas.
Pelo fato de ainda ser nômade, o povo hebreu habitava em tendas, e Deus manifestou o desejo de habitar entre o seu povo.
Ex 25:8 E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.

Porém ao manifestar este desejo a Moisés, Deus determinou alguns princípios, e deu instruções que deveriam ser seguidos a risca na construção do Tabernáculo.
Tudo deveria ser feito cuidadosamente, conforme o modelo apresentado por Deus, tanto na planta de construção, quanto os materiais específicos que deveriam ser empregados, os métodos que deveriam ser utilizados, os detalhes de cada um dos objetos que ali seriam postos, quem poderia entrar no local, como deveriam se vestir, os procedimentos adotados... Enfim, tudo tão detalhado, e muito bem elaborado devido à importância e significado que o Tabernáculo tinha para Deus, visto que se tratava de sua habitação entre o seu povo. Vemos que as instruções para a construção iniciam-se em Ex 25 (repetida em Ex 35), e é concluída em Ex 31 (repetida em Ex 40), e tanto no início das instruções, quanto na conclusão, Deus deixa um alerta:

Ex 25:9 Conforme a tudo o que eu mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus pertences, assim mesmo o fareis.

A partir de Ex 40:33, Moisés termina a obra conforme Deus o ordenara, nos mínimos detalhes, e a glória do Senhor encheu o Tabernáculo, ou seja, o Senhor estava habitando entre o seu povo.
Enquanto o povo marchava pelo deserto em busca da terra prometida, Deus orientava quando, onde e por quanto tempo estacionar. O povo hebreu mudava o seu acampamento de um lugar para outro, somente quando a nuvem que cobria o Tabernáculo (indicando a presença do Senhor) se erguia e indicava o caminho a ser seguido. Durante o dia, a nuvem; à noite, uma coluna de fogo (Ex 40:34-38; Nm 9:15-23).

Deus exigia santidade quanto ao Tabernáculo, e o que não faltou, foram instruções sobre quem, e como poderia entrar em determinados locais do Tabernáculo, e sempre como ordenado por Deus.
Porém em Lv 10:1-7, dois rapazes, Nadabe e Abiú, filhos de Arão, ignoraram os princípios estabelecidos por Deus, e profanaram o santuário de Deus oferecendo “fogo estranho” ao Senhor, e esta desobediência custou caro aos rapazes, pois ambos foram consumidos pelo fogo que saíra diante do Senhor (Lv 10:2) por ter profanado o local onde o Senhor habitava entre o seu povo.

O TEMPLO

Posteriormente, depois que os israelitas entraram na terra prometida, o rei Davi construiu um palácio para si, e depois ele achou que não era certo ele habitar numa casa feita de pedras e madeira, e a arca de Deus habitar em uma tenda (Tabernáculo), e então Davi se propôs a construir um templo para Deus.

Davi manifestou a Deus esta sua intenção, e Deus aprovou esta idéia, mas disse que quem iria construir o Templo não seria Davi, porque Davi havia derramado muito sangue, pois lutou em muitas guerras, mas sim o filho de Davi, Salomão (2 Sm 7:1-14).
Então Davi preparou os materiais para a construção do Templo de Deus.
Após a morte de Davi, o seu filho Salomão tornou-se rei, e em 1 Rs 5:13-18, começa a se preparar para edificar o Templo no Monte Moriá, em Jerusalém.
O lugar onde o Templo foi construído foi escolhido por Deus, era o lugar onde um anjo apareceu para Davi, e Deus ordenou a Davi que levantasse um altar para Ele naquele local (1 Cr 21:16-18).
Ao terminar a obra, Salomão faz a dedicação do Templo, e a glória do Senhor encheu por todo o santuário, mostrando que tudo estava dentro dos princípios estabelecidos por Deus, e o Senhor passou a habitar ali.

1 Rs 8:10-11 E sucedeu que, saindo os sacerdotes do santuário, uma nuvem encheu a casa do SENHOR.
E os sacerdotes não podiam permanecer em pé para ministrar, por causa da nuvem, porque a glória do SENHOR enchera a casa do SENHOR.

Sabem o que aconteceu ao Templo com o passar do tempo? Vejamos agora o texto de Ezequiel 8, quando Deus, através de seu Espírito, leva o profeta até Jerusalém e mostra o que estava acontecendo naquele Templo inicialmente tão belo:

E disse-me: Filho do homem, vês tu o que eles estão fazendo? As grandes abominações que a casa de Israel faz aqui, para que me afaste do meu santuário? Mas ainda tornarás a ver maiores abominações.” (Ezequiel 8:6)

“Então me disse: Entra, e vê as malignas abominações que eles fazem aqui. E entrei, e olhei, e eis que toda a forma de répteis, e animais abomináveis, e de todos os ídolos da casa de Israel, estavam pintados na parede em todo o redor.” (Ezequiel 8:9-10)

Percebe-se claramente que Deus ficou aborrecido pelo fato de seu povo ter pintado imagens de animais e ídolos nas paredes do Templo, e isso custou caro a Israel mais para frente, visto que Deus permitiu aos inimigos derrotar Israel, e os escravizarem.
Tudo isso ocorreu devido a desobediência de Israel ante os princípios e mandamentos estabelecidos por Deus ao seu povo. Israel misturou as culturas de outros povos com sua cultura, e Deus não gostou nada disso.

“Por isso também eu os tratarei com furor; o meu olho não poupará, nem terei piedade; ainda que me gritem aos ouvidos com grande voz, contudo não os ouvirei.” (Ezequiel 8:18)

 
 

O TEMPLO, A TATUAGEM E O PIERCING

VOCÊ É TEMPLO DE DEUS? - 2 PARTE

Leitura base - I Coríntios 6:19 e Gálatas 3:26-29

 

JESUS E O TEMPLO

Pois bem, na época de Jesus ainda existia o Templo... ou melhor, uma espécie de arremedo mal-feito do que deveria ser o templo: cheio de fariseus, escribas, comerciantes... algo não muito diferente de nossas atuais igrejas. E sabem o que aconteceu no exato momento da morte de Jesus?

Tá bem, ocorreram muitas coisas, mas como o objetivo desse estudo é mostrar a presença de Deus entre nós, vou me apegar apenas ao fato do véu do templo, que se rasgou em dois, de alto a baixo (segundo Mateus 27:51 e Marcos 15:38). Qual o significado dessa ação?

Simples: Deus não mais habitava naquele lugar!                ...e... onde Ele foi morar?

 E você não sabe que mesmo sendo Onipotente, Onisciente, Onipresente e Triuno... Deus te ama? Não sabe que Ele continua querendo habitar entre nós? Só que Ele simplificou ainda mais as coisas: Ele nos transformou no próprio Templo!

I Coríntios 6:19 e Gálatas 3:26-29

 

A TATUAGEM E O PIERCING

Vivemos uma época permeada por símbolos, enraizados no ocultismo e em crenças pagãs da antiguidade. Transmitem mensagens e imprimem padrões comportamentais. Confronte-os com a Bíblia

Os jovens da igreja de hoje estão se deixando influenciar pelo modismo do mundo. Alguns dizem que é necessário para evangelizar as pessoas, outros dizem que a igreja precisa mostrar que não é radical e ainda escutamos diversos absurdos.

TATUAGEM – E seus símbolos

O Dicionário de Símbolos diz que: "o simbolismo genérico engloba tatuagem e ornamentação como atividade cósmica, incluindo sentido sacrificial, místico e mágico. Vejamos alguns pontos:

1. A tatuagem pode ser um sinal de propriedade e pacto místico

No oriente (China, Japão), a tatuagem estava vinculada às divindades configuradas no símbolo. Os líbios tatuavam-se para a deusa Neit, os egípcios para Atargatis e na Síria para deuses diversos.

"Na antiguidade, a tatuagem associava-se ao culto dos deuses-demoníacos e era praticada durante ritos dedicados por feiticeiros. O sangue que brotava das feridas, o qual, segundo criam, levava consigo os espíritos malignos." "Dá idéia de consagração." O pacto era feito para se incorporar a entidade do desenho: escorpião, demônios (I Co 10.20-21)

2. A tatuagem pode identificar o grupo e ser usada como talismã.

Na Polinésia identificava o clã e a hierarquia. Na Europa do séc. XVII ela passou a ser propagada pelos marujos como talismã, distinguindo-os dos demais. A máfia japonesa, yakuza, surfistas, metaleiros, presidiários, fazem o mesmo. Os nazistas tatuavam judeus para ofenderem sua fé (I Co 3.16-17; 6.19-20; I Ts 5.5). 

3. A tatuagem pode expressar anarquismo e rebeldia

A palavra tattoo, propagada por James Cook, refere-se ao som dos ossos finos usados na aplicação da tatuagem. A máquina elétrica foi patenteada por Samuel O'Relly em 1891, em Nova York, e chegou ao Brasil em 1959. A onda atual que inclui o piercing vem dos hippies e punks e da influência do rock pesado. Essa herança comunica rebeldia a Deus, à família e às autoridades. Defende a liberdade sexual e a Nova Era (Ef 5.6-13; I Ts 5.22; Cl 3.17).

 

Símbolos e seus significados

 Arco-íris pela metade - pretende ligar o homem a Lúcifer. Conduz ao inferno 
Cornos: Usado por artistas ligados à música e pelos seus fãs. Simboliza o louvor em rituais satânicos.

 

Os perigos da tatuagem

Este estudo fala apenas da origem da tatuagem. Muitos a usam por razões próprias (I Co 8.9; Rm 14.12).

 Mas, há riscos de contrair o vírus HIV, hepatite, infecções bacterianas e virais.

 
 

O TEMPLO, A TATUAGEM E O PIERCING

VOCÊ É TEMPLO DE DEUS? - 3 PARTE

Leitura base - I Coríntios 6:19 e Gálatas 3:26-29

 

PIERCING – E seus símbolos

Esta indumentária para o corpo surgiu na Índia há bastante tempo. Sua função é trazer mais um adorno, uma diferenciação, uma certa forma de beleza estética. Porém eles têm um significado diferente para cada parte do corpo. 

Todos os Piercings são dedicados a deuses e/ou ídolos regionais e territoriais. A partir do momento que você coloca um Piercing em seu corpo está aberta a porta para atuação demoníaca, mesmo que você não queira ou não saiba que isso vai acontecer. O diabo não está nem um pouco interessado em saber qual é a sua intenção, ele não quer saber se você sabe ou não o significado do que você está fazendo; ele apenas usa suas artimanhas para se apoderar da sua vida. 

Portanto, vou explicar um pouco dos significados dos Piercings nas partes do corpo mais comumente utilizadas para sua colocação.

 O Piercing colocado no NARIZ significa DOMÍNIO e seu sentido no mundo espiritual é uma distorção do caráter e um direcionamento que causam rebeldia e uma autoconfiança muito exacerbada. 

O Piercing nas SOBRANCELHAS dá vazão para um APRISIONAMENTO DA MENTE, causando um bloqueio na mente de quem os usa. Para essas pessoas nada tem grande importância principalmente na vida espiritual. 

O Piercing nas ORELHAS, muito comum, significa APRISIONAMENTOS EM ÁREAS ESPECÍFICAS do corpo, podendo ser bloqueio do sistema nervoso, sistema simpático e sistema parassimpático. As pessoas que os usam podem sofrer de problemas na coluna, útero, alterações de libido e personalidade e, também, alterações genitais. 

Um dos piercings que estão mais na "moda" é colocado no UMBIGO. Este está na área destinada a ALIMENTAÇÃO. Serve como um local de canalização de espíritos satânicos no corpo de quem os usa. Ele representa a exposição do corpo, visto que as pessoas que os usam gostam de deixá-los à mostra. 

O Piercing nos LÁBIOS significa um DOMÍNIO NA FALA; assim como o que é colocado na gengiva. As pessoas que os usam estão propensas a ter insegurança nessa área, dificuldades para uma boa comunicação, etc. Seu significado na vida dessas pessoas é como de um cabresto e pode ser representado na forma de gagueira. A diferença entre o colocado nos lábios e o que é colocado na gengiva, é que o segundo representa a LUXÚRIA. 

O Piercing nos ÓRGÃOS GENITAIS  traz como significa principal a PROSTITUIÇÃO. Ele pode causar um estímulo intra-uterino para atuação de espíritos nessa área causando esterilidade e outros problemas nas mulheres e, também, nos homens. Ele trás uma atuação na área da prostituição na vida das pessoas que o utilizam.

 

PIERCING – E seus perigos

A revista Época de aponta diversos perigos do piercing:

Língua - Pode provocar fendas nos dentes e infecção geral. 

Sobrancelha - Inchaço e dor impedem a higienização correta do local e abre caminho para infecções. 

Umbigo - A pele pode ficar irritada com reações alérgicas. 

Nariz - Danifica os vasos sanguíneos e produz cicatrizes."'

Em Ex 21.6 perfurar a orelha simbolizava um pacto de escravidão. Roland de Vaux, ex-diretor da École Biblique de Jerusalém, diz:

"As leis antigas da Mesopotâmia presumem que o escravo seja marcado, como uma rês, com uma tatuagem, um estigma feito com ferro em brasa ou ainda com unia etiqueta presa a seu corpo (Dt 15.17). ...Sinal de identidade. Como as tatuagens dos cultos helenísticos. "

UM SINAL DE ESCRAVIDÃO

Deus aprovaria algo que chega a mutilar o templo do Espírito Santo? Veja o alerta que a Bíblia faz em I Cor 3.16-17. Existe a tese de que os locais mais perfurados estejam relacionados à salvação e que, como certos adornos, o piercing constitui uma tranca que aprisiona a alma (Ez 13.18-21). Um sinal visível de escravidão espiritual. Leia os textos abaixo, faça sua própria avaliação e tire suas conclusões:

1. Nariz - fôlego de vida (Gn 2.7; 7.22-24; Is 2.22, 42.5; Ec 3.19, 21)

2. Boca - confissão (Rm 10.8-9;IJo 1.9; Mt 15.18;21.16; Tg 3.10; Pv 21.23) 

3. Sobrancelhas (olhos) - mente (Mt 6.22-23; Ef 1.17-18, 4.18; II Co 4.4)

4. Orelha - ouvir e crer (Rm 10.14-18; Hb 3.15; Is 6.10; Jr 17.23; Ap 3.6) 

5. Umbigo (ventre) - sede da vida (Jo 7.38-39; 4.14; Fp 3.19; Rm 16.18)


TATUAGEM E PIERCING – Cristão pode usar?

 “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.” I Coríntios 3:16-17

Por que uma tatuagem ou um piercing?

Para ser “exclusivo”? Por vaidade? Vejam o que aconteceu aos filhos de Arão...

Para ser bonito? Será que o seu conceito de beleza agrada a Deus? Veja as imagens que estavam pintadas nas paredes do Templo... eram justamente o tipo de coisas que estão em nossas tatuagens de hoje: répteis (cobras, lagartos...) e animais abomináveis (escorpiões, corujas, morcegos...). Isso quando a tatuagem não tem logo o desenho de uma caveira, de um demônio ou de um ídolo.

Em Levítico 19:28 lemos: “Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o Senhor.”

Façamos algumas perguntas...

1. Se traz escândalo ou fere a consciência alheia (Mt 18.7; Rm 14.21)

2. Se a natureza da prática dá lugar à carne, envolve magia, ocultismo, idolatria, exploração, malignidade (Gl 5.13; Cl 3.17; I Pd 1.14-25)

3. Apresenta-se alguma aparência do mal (I Ts 5.22; Ef 5.8; Mt 5.13-16)

4. Posso testemunhar da minha fé enquanto faço isso? (I Pd 3.15)

5. Em meu lugar, o que faria Jesus? (I Pd 2.21; 1 Jo 2.6;C12.6;Jo 13.15)


CONCLUSAO

Todo o conselho de Deus concernente a todas as coisas necessárias para a glória Dele e para a salvação, fé e vida do homem, ou é expressamente declarado na Escritura ou pode ser lógica e claramente deduzido dela. Somos diferentes de tudo no mundo que não é cristão e esta contra-cultura cristã é a vida do Reino de Deus.

Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.  1 João 2:15

 
 

CRISTO SIM, IGREJA NÃO.

 

CRISTO SIM, IGREJA NÃO.

 Não é de hoje que a Igreja do Senhor percebe com tristeza o afastar-se de muitos de seus membros. Crentes que participavam dos trabalhos da Igreja, que dizimavam com fidelidade e de repente desapareceram.

- Leitura: Mt 13; 3 á 8.

04 tipos de crentes

 

  • Jesus na parábola do semeador mostra 04 tipos de crentes e pelo que podemos compreender dos que ouvem a palavra de Deus, apenas um permanece e é de fato servo de Deus.
  • Em todos os exemplos o semeador lança a semente na terra, onde o semeador é o pregoeiro da verdade, a semente a palavra de Deus, o evangelho de Jesus e a terra somos nós simples mortais.

 01-Exemplo;

A semente cai na beira do caminho e vêm as aves e a arrebata, Jesus referia-se aqueles que ouvindo num culto ou mesmo por outro meio a palavra, logo em seguida, tinham essa palavra arrebatada, não chegando ao coração, mas apenas na mente.

02- Exemplo;

A palavra até era aceita, mas como a terra era pedregosa, não havia enraizamento do que se tinha ouvido e em vindo o sol representado pelas tribulações, perseguições e outras dificuldades, secam-se rapidamente, são aqueles crentes que desvanecem depois de algum tempo na Igreja.

03- Exemplo;

Jesus fala de um grupo que permanece mais tempo, talvez até os seus últimos dias de vida, mas que na verdade estão tão envolvidos com as coisas desta vida que Deus e a Igreja estão no ultimo lugar, são crentes nominais apenas.

04- Exemplo;

E o ultimo são os crentes convertidos e comprometidos com a obra.

Realidade de hoje

- É PRECISO NASCER DE NOVO

 

  • Hoje, enfrentamos a mesma situação. Crentes têm abandonado a Igreja por razões tão insignificantes. Muitos não creram de fato, outros não permitem que a palavra mude sua vida, alguns estão sufocados com as flores da vida terrena, são membros, são chamados de crentes, mas não vive o verdadeiro Cristianismo. Temos percebido que o homem na sua imperfeição tem requerido da Igreja aquilo que ele não pode dar.

- A CULPA É DO PASTOR, E DA IGREJA.

 

  • Quantos crentes têm abandonada Igreja só porque discordou do pastor ou porque de repente se deparou com um escândalo, algo que lhe feriu a alma. Conheço pessoas que decidiram ser crentes em casa, dizem que estão servindo a Cristo mesmo distanciado da Igreja, como se Cristo estivesse divorciado dela. Estes pensam: o que importa é Cristo, a igreja não tem valor algum, em outras palavras Cristo sim, igreja não.

 - MAL AGRADECIDO

 

  •  Esquecem que de bom grado que foi a Igreja quem Deus usou para alcançá-lo, a mesma Igreja da qual Cristo é o fundador e sobre a qual deu ordem e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. O apostolo Paulo, contrariando tais pensamentos, não abandonou a Igreja de Corinto e nenhuma outra, antes exortava e permanecia firme buscando a restauração de cada uma.   

- ONDE ESTÁ O AMOR?

 

  • Até quando seremos meninos em Cristo? Precisamos pautar nossas atitudes no verdadeiro Evangelho, que não só me ensina a receber misericórdia, mas a exercê-la também, que as pessoas que erram na minha Igreja hoje podem ser as que me ajudarão amanha se eu vier a errar, por isso preciso ajudá-las e não abandona-las. Não estou conclamando ninguém a concordar, aceitar ou praticar o erro, mas a sermos maduros como foi o apostolo Paulo.

 E nós obreiros??!!!

 

  • Com muita convicção, afirmo e sustento: em qualquer área do reino, se o obreiro perdeu o amor pela Igreja local, perdeu a autoridade espiritual para o trabalho. A expressão não sirvo aos homens, mas sirvo a Deus pode ser uma desculpa tosca para ocultar desprezo pelos irmãos e dificuldades em saber trabalhar em equipe.

- AMAR O IRMÃO.

  • Sem amor pelos irmãos como nos diz João, o amor por Deus é falso.

 - AMAR A IGREJA E SERVI-LA.

 

  • Um obreiro precisa amar a Igreja de Cristo em geral e a Igreja de Cristo em particular. Todos os vossos atos sejam feitos em amor, disse Paulo. Principalmente o ato de servir. Aliás, somos chamados para servir e não para senhorear o reino. E um serviço que se qualifica pelo amor. O único motivo válido é o amor ao se fazer e a quem se serve. Servimos a Deus, sim, mas servimos ao seu povo também.

 - O OBREIRO E OS TRÊS CENTROS.

Um obreiro é cristocentrico, bibliocentrico e eclesiocentrico podem causar alguma confusão. Três centros? Como pode ser? Quem é cristocentrico será bibliocentrico. Quem for bibliocentrico será eclesiocentrico, pois como disse Jesus, as escrituras testificam dele. E quem tem a Bíblia e tem Cristo tem a Igreja. Quem tem e quem é Igreja tem a Bíblia e Cristo.

CONCLUSÃO

 Ame sua Bíblia. Ame a Igreja. Aí você será um obreiro que terá o perfil necessário para o mundo de hoje. Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da Verdade. II Tm 2;15. AMEM, AMEM.

 Que Deus Nos Abençoe

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Nordeste, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese